Tipos de amostragem 2: Amostragem Probabilística

Enquanto a amostragem não probabilística é subjetiva, pois baseia-se nas decisões pessoais do pesquisador, a amostragem probabilística é objetiva, pois não é influenciada pela pessoa que está conduzindo a pesquisa. Nesse tipo de amostragem, os elementos da amostra são selecionados aleatoriamente e todos eles possuem probabilidade conhecida de serem escolhidos. Tal seleção ocorre através de uma forma de sorteio não viciado, como o sorteio em uma urna ou por números gerados por computador.

Escolha aleatória

Na amostragem aleatória simples, todos os elementos da população tem a mesma probabilidade de pertencerem à amostra. Essa amostragem pode ser sem repetição, que é quando o elemento que já foi sorteado não continua no sorteio ou com repetição, quando o elemento sorteado continua no sorteio, podendo ser escolhido novamente.

A amostragem estratificada consiste em separar a população em grupos homogêneos e, então, fazer a seleção via amostragem aleatória simples dos elementos de cada grupo. Esta técnica exige um conhecimento maior da população.

Na amostragem por conglomerados, a população é dividida fisicamente em conglomerados. Depois, selecionam-se aleatoriamente os conglomerados que farão parte da amostra, ao passo que todos os elementos dos conglomerados selecionados serão amostrados. É muito utilizada quando há necessidade de se realizar entrevistas ou observações em grandes áreas.

Padrão

A amostragem sistemática consiste em selecionar as unidades elementares da população em intervalos pré-fixados. Para funcionar, a técnica requer a listagem prévia da população, que deverá ser homogênea e uma atenção especial na periodicidade dos dados.

Em um primeiro momento, faz-se a seleção aleatória do primeiro elemento em um intervalo pré-definido. Após a seleção do primeiro elemento, os demais são selecionados de forma periódica. A amostragem é constituída da seguinte forma: o primeiro elemento é igual a k; o segundo é o que corresponde a k + b; o terceiro é o correspondente a k + 2b e assim por diante.

Apesar de termos várias técnicas de amostragem disponíveis, não podemos citar uma que seja melhor do que a outra. Cada uma é mais adequada em determinada situação. Quando utilizá-las é um assunto que veremos no próximo post.

3 thoughts on “Tipos de amostragem 2: Amostragem Probabilística

  1. Obrigada, amostragem aleatória é complicada principalmente quando se trabalha com crianças porque muita das vezes não querem sair ou nem sempre querem terminar o que começaram, então estamos na linha certa? se não diga-me o certo por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>